Blog Técnicas e Práticas Empresariais

//Blog Técnicas e Práticas Empresariais

O Blog Técnicas e Práticas Empresariais é um espaço de aprendizagem colaborativa com discussão de temas relevantes para promoção da reflexão e partilha de conhecimento, opiniões e experiência.

Clique abaixo para aceder ao último tema.

CEAC Fórum de Maio – A Formação Empresarial – Clique aqui para aceder

CEAC FÓRUM – A FORMAÇÃO EMPRESARIAL

Aula de Duvidas

CEAC FÓRUM – Este mês deixo para vossa reflexão um tema muito importante para os trabalhadores e, consequentemente, para as empresas.

Realmente, a formação é imprescindível para que o trabalhador possa desempenhar melhor as suas funções, seja a nível de conhecimentos técnicos, como a nível do seu desenvolvimento pessoal.

Decorre dos Artº. 130 a 134 do Código do Trabalho, a obrigatoriedade por parte das entidades empregadoras de proporcionar aos seus trabalhadores um mínimo de 35h de formação contínua, anuais.

Infelizmente, estamos muito longe de cumprir esse objetivo na sua totalidade. Claro que tem havido uma evolução nos últimos anos e, principalmente, ao nível das grandes empresas, a formação dos seus colaboradores faz parte do seu planeamento/orçamento anual.

No que diz respeito às nossas PME’s (pequemas e médias empresas) já o panorama é bastante diferente, e poucas cumprem o estipulado.

Relativamente à formação ministrada, também nem toda é de qualidade, existindo ainda muita “formação a metro”, apenas para cumprir a obrigação das 35h anuais, e não fazendo parte de um efetivo planeamento empresarial, com vista à melhoria das habilitações dos funcionários, com inegáveis benefícios para os próprios e para as empresas.

Também as empresas que operam no mercado da formação, no intuito comercial de conquistarem mais clientes, baixam os preços de tal maneira que, dificilmente, conseguem oferecer formação de qualidade e a níveis mínimos satisfatórios.

Perante toda esta problemática, gostaria de ouvir a vossa opinião, agradecendo os vossos contributos, nomeadamente no sentido da partilha das experiências que tenham tido nesta área.

OBRIGADA PELA VOSSA PARTICIPAÇÂO!


Para participar neste Fórum CEAC basta clicar em INSERIR COMENTÁRIO, não esquecendo de indicar o seu nome e turma para que o seu contributo seja avaliado. Os vossos comentários serão primeiro sujeitos à aprovação do professor pelo que podem não ficar imediatamente disponíveis.

Esta atividade de Fórum permite debater e abordar novas ideias, visa o desenvolvimento e a discussão de temas atuais, no âmbito da formação. Aguardo as vossas participações com expectativa, o vosso contributo é muito importante para o sucesso deste fórum!


Sylvie Moreira
Tutora Apoio Pedagógico

 

Fórum Abril – Recrutamento e novas tecnologias: Clique aqui para aceder

FORUM DE ABRIL 2018 – Recrutamento de Recursos Humanos e as novas tecnologias

Está a aumentar o número de empresas que recorrem a tecnologias de inteligência artificial para escolher os colaboradores que contratam. “Matching”, “chatbot” e “digital assessment” são termos a reter.

Os robôs ameaçam acabar com as formas de recrutamento tradicionais nos próximos anos. A empresa HireVue desenvolveu um sistema de inteligência artificial que consegue captar 25.000 características de um candidato a um determinado lugar numa única entrevista de emprego. Depois do matching, processo que pretende identificar compatibilidades, as atenções voltam-se agora para os chatbots, agentes de conversação digitais.

No entanto, a expressão que tem vindo a assumir uma importância maior tem sido digital assessment, usada para descrever os processos de avaliação digital que muitas empresas, sobretudo lá fora, já começam a empreender. “As tecnologias de matching comparam os perfis dos candidatos com os requisitos dos anúncios dos empregadores”, explica a jornalista Anne-Charlotte Müller num artigo publicado há dias.

Yooture, Moberries, Truffles e Talentfly são algumas das principais aplicações usadas. “Estes programas funcionam como se fossem o Tinder do emprego”, sublinha. Apesar de existirem desde a década de 1950, só recentemente é que os chatbots começaram a ser usados em processos de recrutamento. A principal vantagem destes agentes de conversação digitais é a rapidez em comparação com as entrevistas presenciais.

A sala digital que está em fase de testes

O vídeo assume uma importância fundamental nos processos de digital assessment. A entidade recrutadora pede ao candidato que se filme enquanto responde a uma série de perguntas pré-gravadas, como as que o portal de recrutamento HireView disponibiliza. Enquanto isso, um robô analisa as palavras e todos os gestos dos candidatos, incluindo as mudanças de postura, as pausas, as expressões faciais e o tom da voz.

Se for considerado apto, o avaliado é depois contatado para uma entrevista presencial. A empresa de recrutamento Manpower, que também opera em Portugal, tem atualmente em testes uma digital room, uma sala repleta de câmaras, microfones e outros captadores de som e imagem. Sentado em frente a um ecrã, face a um avatar, o candidato ao emprego responde às perguntas que lhe são feitas.

Tal como sucede com o HireView, todas as suas reações são analisadas ao mais ínfimo pormenor. “Nesta fase, as pessoas ainda têm de se dirigir a essas instalações mas, num futuro próximo, gostaríamos que esse programa pudesse ser usado à distância, através de qualquer computador”, afirmou um dos diretores de marketing e comunicação de um dos países europeus da empresa a um jornal suíço.

As opiniões de quem já foi submetido a esta forma de recrutamento

Humanoïdjob é o nome de um dos robôs que, nos últimos meses, têm sido responsáveis pelo recrutamento de colaboradores em várias partes do mundo. O francês Hubert Levesque, graças a “um sistema paralelo de chatbots e de algoritmos originais”, como os descreve, é um deles. “A empresa que me contratou não procurava apenas as competências por detrás de um nome e de uma fotografia num currículo”, diz.

“Eles queriam mais. Procuravam um perfil atípico que aliasse conhecimentos determinantes a experiências significativas, competências técnicas irrefutáveis e um sentido de iniciativa, de criatividade e uma diversidade que nem sempre um CV reflete”, escreveu o agora diretor-geral da empresa de recrutamento e valorização de competências Morgan McKinley em outubro do ano passado.

Em novembro de 2017, em França, a empresa organizadora de viagens Marco Vasco, seguindo o exemplo da Vinci e da Adecco, recorreu a um chatbot, ao qual deu o nome de Marco, para aumentar o número de funcionários. Na Austrália, com as mesmas funções, foi também já apresentada publicamente a Matilda, um robô com 40 centímetros de altura que também faz perguntas e analisa respostas e comportamentos.

“Estas máquinas são muito fiáveis tendo em conta o fim para o qual foram desenvolvidas. São parametrizadas e foram otimizadas para reter apenas os currículos que contenham palavras-chave relacionadas com as competências e as funções desejadas”, garantiu Laurianne Laval, gestora de marking do site MyJobCompany, em 2014, numa fase em que a evolução ainda não tinha atingido o patamar dos dias que correm.

Para muitos empregadores internacionais que já a adotaram, esta solução afigura-se a melhor, mas a maioria dos candidatos a um posto de trabalho não tem a mesma opinião. “Acho desumano nunca conseguir chegar a um empregador físico”, criticou mesmo um canalizador britânico com mais de 40 anos que foi submetido a um processo de recrutamento por esta via em declarações ao jornal The Guardian.

Com estas palavras deste britânico, vamos reflectir um pouco sobre o assunto:

  1. O que acham realmente destes sistemas de recrutamento? “Matching”, “chatbot” e “digital assessment”.
  2. Qual seria a vossa reacção perante estes sistemas de recrutamento?
  3. Acham que poderíamos realmente guardar a nomeação de “ recrutamento de Recursos Humanos”?

Para participar basta clicar em INSERIR COMENTÁRIO, não esquecendo de indicar o seu nome e turma para que o seu contributo seja bonificado.

Os vossos comentários serão primeiro sujeitos à aprovação do professor pelo que podem não ficar imediatamente disponíveis.

Esta atividade de Fórum permite debater e abordar novas ideias, visa o desenvolvimento e a discussão de temas atuais, no âmbito da formação. Aguardo as vossas participações com expectativa, o vosso contributo é muito importante para o sucesso deste fórum!

Sylvie Moreira
Tutora Apoio Pedagógico

 

Fórum Março – Crime na Internet: Clique aqui para aceder

“CRIMES” QUE PODE COMETER NA INTERNET

transferir

Nem sempre a forma como se utiliza a internet é a mais sensata e, mesmo sem saber, pode estar a cometer alguns crimes que, hoje em dia, já são considerados bastante comuns.

Quais são os “crimes” mais comuns que existem no mundo virtual?

CYBERBULLYING: Esta é uma das maiores formas de violência que tem aumentado nos últimos tempos, embora ainda existam pessoas que não a considerem um crime.

MÚSICAS E VÍDEOS: Nem todos os arquivos são ilegais, mas se partilhar músicas, vídeos ou até mesmo softwares, pode estar a cometer pirataria e também violação de direitos de autor.

IDENTIDADE FALSA: Este crime é um dos mais frequentes que existe na internet, pois ao criar um nome e perfil falsos, está a usar a identidade de outra pessoa para o seu proveito.

SITES DE FILMES OU TELEVISÃO: A maioria dos sites onde costuma ver filmes ou televisão são grátis e por isso são ilegais. Assim, se pretender ver um filme ou televisão opte pelos sites pagos para garantir que não comete nenhum crime sem saber.

YOUTUBE: O Youtube é sem dúvida o site que deve ter mais visitas pois é normal que queira estar a par das mais recentes novidades no mundo da moda e não só. Por isso se alguma vez fizer a partilha de um vídeo deve ter em consideração se este é protegido ou não, pois se não o fizer pode estar a violar os direitos de autor que nele estão inseridos.

INTERNET: É normal que por vezes no trabalho acabe por dar uma vista de olhos nas redes sociais, mas sabia que isto pode levar a que seja despedido?! Apesar de não estar relacionado com um crime, o facto de utilizar a internet para uso pessoal no seu trabalho pode fazer com que seja despedido.


Neste texto elencámos aqueles que são os “crimes” mais comuns na internet; entre os enunciados queremos que nos conte:

  • Quais representam para a sua vida pessoal ou na empresa maior risco?
  • De que forma estes podem afectar a sua vida pessoal ou na empresa?
  • Existem outros riscos considera importante e que não estão acima referenciados?

Para participar basta clicar em INSERIR COMENTÁRIO, não esquecendo de indicar o seu nome e turma para que o seu contributo seja bonificado.

Os vossos comentários serão primeiro sujeitos à aprovação do professor pelo que podem não ficar imediatamente disponíveis.

Esta atividade de Fórum permite debater e abordar novas ideias, visa o desenvolvimento e a discussão de temas atuais, no âmbito da formação. Aguardo as vossas participações com expectativa, o vosso contributo é muito importante para o sucesso deste fórum!

Sylvie Moreira
Tutora Apoio Pedagógico

Fórum Fevereiro – Ética Profissional: Clique aqui para aceder

O Valor da Ética para um Profissional

Imagem1

No exercício de uma profissão, uma conduta não-ética pode em princípio agradar a quem beneficia diretamente desta conduta. Porém, a médio e longo prazo, este fato apenas contribui para denegrir não somente o profissional que o praticou, mas toda a comunidade profissional como um todo.

É sabido que uma profissão só é valorizada quando quem dela precisa, sente sua utilidade. Ou seja, quando uma profissão consegue demonstrar, de forma inequívoca que pode contribuir positivamente para a sociedade, ganha desta a admiração e o respeito que merece.

Assim também acontece com a empresa, quando os seus profissionais agem de acordo com a ética profissional e com as demais normas que a regem.

Ao recusar-se a participar de atos incompatíveis com a legislação, o profissional prova que a sua conduta é coerente não só com a ética, mas também com a moral social e pessoal.

Para o fórum mensal do mês de fevereiro gostaria de vos convidar a refletir sobre comportamentos ou atitudes éticos em ambiente profissional.

  1. O que ganho eu se agir eticamente? Em situações de conflito de valores já lhe aconteceu colocar-se esta questão?
  2. Já alguma vez se questionou sobre se deve ou não ser o primeiro na empresa a tentar fazer as coisas de maneira diferente?
  3. E o seu chefe/diretor, será que o vai apoiar?

Em alternativa podem apresentar exemplos de atitudes éticas num ambiente de trabalho e quais as suas vantagens.

Para participar basta clicar em INSERIR COMENTÁRIO, não esquecendo de indicar o seu nome e curso para que o seu contributo seja avaliado. Os vossos comentários serão primeiro sujeitos à aprovação do professor pelo que podem não ficar imediatamente disponíveis.

Cotação: 20% da média da Unidade em estudo.

Fico a aguardar as vossas participações com expectativa, o vosso contributo é muito importante para o sucesso deste fórum.

Bom trabalho e um bom Fórum para todos!

Sylvie Moreira

[poll id=”5″]

Fórum Janeiro: O Papel do Gestor – Clique aqui para aceder

O Papel do Gestor

Seja em pequenas e médias empresas (PME) ou em grandes empresas, o principal papel do gestor é assegurar o desenvolvimento da empresa, através da geração sustentada de lucros. Para atingir este objetivo primordial, o CEO (acrónimo de Chief Executive Officer) tem de exercer a autoridade que lhe foi conferida, dirigindo, coordenando e controlando os membros da sua equipa.

No caso dos micro negócios ou empresas de uma pessoa só, o papel do gestor é mais óbvio. O proprietário, que também é o diretor executivo (ou gestor), tem de vender e gerar receitas para sustentar a empresa. Além disso, as suas funções de direção, coordenação e controlo fundem-se, sendo a tomada de decisão informal e muitas vezes imediata.

No caso das grandes empresas, compostas por várias unidades de negócio e localidades dispersas, o CEO está aparentemente mais concentrado no desenvolvimento das relações internas e externas à empresa, como a gestão de processos internos, as reuniões de gestão e as relações públicas. No entanto, os objetivos de um e outro tipo de gestores não são muito diferentes.

Os problemas mais comuns no desempenho da função de CEO

O CEO é o responsável máximo da organização, é o responsável pelo bom funcionamento do marketing, da função financeira, das atividades técnicas e operacionais, dos recursos humanos e do cumprimento de requisitos legais, entre outros. Coordenar o trabalho dos gestores funcionais é um dos papéis mais críticos que o CEO tem que cumprir. Este papel é frequentemente afetado quando o CEO:

  • Se envolve em demasiados detalhes do dia-a-dia;
  • Tende a concentrar-se mais na sua área de especialidade funcional, como a área financeira por exemplo, em detrimento da coordenação geral da empresa;
  • Não age em função das necessidades reais de cada situação, orientando-se antes por teorias ou outras convicções próprias;
  • Não se apercebe do seu impacto na organização nem das consequências das suas decisões.

A dimensão da empresa e o papel do CEO

Embora a coordenação das diferentes funções seja uma das maiores responsabilidades do gestor, pode não ser a mais importante no caso das empresas mais pequenas. Em muitas pequenas empresas, o Chief Executive Officer também pode ter de agir como o Chief Operating Officer (COO ou Diretor de Operações) ou Chief Financial Officer (CFO ou Diretor Financeiro) ou Chief Marketing Officer (CMO ou Diretor de Marketing), por exemplo (todos estes estrangeirismos servem para dizer que pode ter que fazer de tudo um pouco).

Em empresas muito pequenas, o CEO terá realmente de desempenhar todas estas funções, incluindo funções acessórias, tais como a contabilidade, tarefas administrativas e informáticas. Mesmo nesses casos, o CEO não deixa de desempenhar o seu papel como garante que todas as funções vitais estão a ser devidamente executadas e que a empresa está a gerar lucros suficientes.

Este mês proponho-vos uma reflexão/debate sobre o tema ESTILOS DE LIDERANÇA, pesquise e/ou partilhe a sua opinião sobre quais são as características principais de um Líder, as suas competências e o que melhor o carateriza num contexto de trabalho.

Indique na sua experiência pessoal e/ou profissional qual o lider que mais gostou? E o que gostou menos? Justifique.

Cotação: 20% da média da Unidade em estudo.

Fico a aguardar as vossas participações com expectativa, o vosso contributo é muito importante para o sucesso deste fórum!

Sylvie Moreira

Fórum Dezembro: Motivação nas Empresas – Clique aqui para aceder

A MOTIVAÇÃO DAS PESSOAS NAS EMPRESAS

Imagem1

Neste mês apresentamos a debate um tema de interesse para os gestores, colaboradores e todos, em geral.

Falamos dos vários processos de Motivação disponíveis nas empresas, existentes para integrar, envolver, dinamizar e desenvolver novas competências nos colaboradores, melhorando o seu desempenho e satisfazendo as suas necessidades individuais e da própria empresa.

A Motivação é fundamental para qualquer empresa que deseje vencer os seus obstáculos no século XXI. É a Motivação que mantém os níveis da produtividade de uma empresa e os níveis de satisfação das equipas.

“No futuro as empresas competirão não só por clientes, mas também por Recursos Humanos”.

Uma das competências do LÍDER é a sua capacidade de MOTIVAR os seus colaboradores.
Os colaboradores devem ser motivados para os objetivos gerais da empresa, como entidade comum geradora de resultados, da mesma forma que devem ser motivados para os seus objetivos individuais, virados para a tarefa e de acordo com a função.

Este mês proponho-vos uma reflexão/debate sobre o tema: MOTIVAÇÃO

pesquise e/ou partilhe a sua opinião sobre quais são os fatores da motivação que o podem influenciar, inspirar, estimular, e até que ponto, a satisfação das suas necessidades básicas é suficiente para alcançar estes objetivos, e se deve haver também um enfoque noutros fatores motivacionais, como o enriquecimento das tarefas, o relacionamento, a comunicação, o compromisso ou a implementação de uma política de objetivos e de carreira.

Dê outros exemplos de elementos que possam ser utilizados pelos gestores, para melhorar o fator motivacional dos colaboradores no desempenho das suas funções, otimizar a gestão das suas equipas e do pessoal e finalmente, no atingir dos objetivos sociais e globais da empresa.

Podem usar exemplos para ilustrar a vossa opinião.

Para participar basta clicar em INSERIR COMENTÁRIO, não esquecendo de indicar o seu nome e curso para que o seu contributo seja avaliado. Os vossos comentários serão primeiro sujeitos à aprovação do professor pelo que podem não ficar imediatamente disponíveis.

Cotação: 20% da média da Unidade em estudo.

As atividades no Fórum de Discussão permitem debater e abordar novas ideias, visa o desenvolvimento e a discussão de temas atuais, no âmbito da formação.

Fico a aguardar as vossas participações com expectativa, o vosso contributo é muito importante para o sucesso deste fórum.

Bom trabalho e um bom Fórum para todos!

Sylvie Moreira

Fórum Novembro: Novas Tecnologias – Clique aqui para aceder

shutterstock_167353022

Já se imaginou a viver e sobretudo a trabalhar sem internet? Já imaginou um futuro em que muitas das empresas não são físicas mas apenas pessoas? Pessoas que trabalham a partir de casa ou de uma esplanada ou até mesmo de um parque enquanto acompanham as brincadeiras dos seus filhos? Onde não são necessários arquivos ou armários cheios até cima de pastas? Onde as pessoas trabalham de forma colaborativa numa mesma plataforma online, a partir de qualquer lugar e a qualquer hora? Onde as reuniões são feitas à distância?

Este cenário é a nova tendência incontornável à qual todos nós, em mais ou menos tempo nos teremos de adaptar, de forma direta ou indireta.

A influência da internet no nosso quotidiano fez emergir novas formas de relacionamento interpessoal, de reorganização de ordem social, novos mecanismos de distribuição de conteúdos e novos modelos de negócio. Paralelamente impulsionou a reflexão sobre os limites da liberdade individual, a salvaguarda dos direitos de autor e o risco da perda de produtividade laboral.

A Internet conferiu poder ao indivíduo, deu-lhe voz numa dimensão planetária. As empresas dão-lhe agora mais importância do que nunca, procuram marcar a sua presença reconhecendo que os seus públicos estão sempre ligados à web. Paradoxalmente insurge um sentimento de temor pela perda de uma imagem construída ao longo de anos que poderá desmoronar-se ao ritmo a que se desenrola a comunicação no ciberespaço.

O equilíbrio destas forças impõe-se. O espaço e o tempo comprimiram-se. Em duas décadas, o mundo definitivamente diminuiu! Nos últimos anos algumas áreas e determinados sectores de atividade têm vindo a passar por diversas mudanças, quer no seu quotidiano quer no seu modelo de negócio.

A revolução digital é um facto consumado. É impossível negá-lo ou ignorá-lo.

 Para o fórum mensal deste mês proponho-vos uma pesquisa/debate sobre a influência das novas tecnologias na vossa vida profissional e na atividade das empresas.

Como sugestão, podem refletir sobre algum dos seguintes assuntos:

– De que modo o vosso trabalho foi afetado/melhorado por influência das novas tecnologias?

– A relação com clientes, fornecedores, Estado e outros alterou-se?

– Qual o impacto das novas tecnologias no trabalho de rotina?

Cotação: 20% da média da Unidade em estudo.

Aguardo as vossas participações com expectativa, o vosso contributo é muito importante para o sucesso deste fórum!

 

Sylvie Moreira

Fórum Setembro 2017 – ATIVOS INTANGÍVEIS – Clique aqui para aceder

ATIVOS INTANGÍVEIS – FONTE DE VALOR DA ECONOMIA ATUAL

Em contabilidade o Sistema de Normalização Contabilística (SNC) define a conta 44 Ativos Intangíveis como sendo os elementos incorpóreos de uma empresa, ou seja são ativos não monetários que não possuem substância física.

Atualmente o domínio do conhecimento e a informação são a base de sucesso de grande parte das empresas. Também as pessoas constituem, hoje em dia, um dos ativos não monetários de grande valor para as empresas, assim como o seu trabalho e os processos que desenvolvem.

ImagemSCN

As entidades possuem diversos recursos intangíveis que representam muitas vezes o seu ativo mais importante e o seu recurso produtivo mais valioso, por exemplo marcas próprias, conhecimento do mercado, carteira de clientes, know-how, patentes, etc.

Tradicionalmente pensamos que o valor de uma empresa está nos seus bens físicos (por exemplo imóveis, terrenos, máquinas, equipamentos ou viaturas), no entanto o valor de uma empresa, atualmente, está todo nos seus ativos intangíveis.

Para consulta:

Clique aqui para ler a notícia

Ao ler esta notícia podemos concluir como os ativos intangíveis (por exemplo as marcas, o relacionamento com clientes, a propriedade intelectual e o capital humano) são difíceis de medir e de gerir, mas são determinantes na criação de valor.

De acordo com um estudo realizado a nível global em que participaram cerca de 750 gestores, os fatores determinantes na criação de valor numa empresa são:

  • Satisfação dos clientes
  • Qualidade dos serviços
  • Relacionamento com os clientes
  • Capital humano – qualidade das pessoas que trabalham na empresa
  • Marca e a sua reputação
  • Qualidade das decisões estratégicas
  • Execução eficaz da estratégia
  • Patentes de produtos ou processos de fabrico
  • Relacionamento com os fornecedores
  • Qualidade dos ativos intangíveis

Este mês proponho-vos que identifiquem, no vosso quotidiano, um fator que constitua um ATIVO INTANGÍVEL que tenha de algum modo influenciado a vossa escolha como consumidores, pode ser a pastelaria onde tomam café, aquele restaurante, supermercado/mercearia onde sempre voltam, ou uma marca de telefone, de automóvel, computador, televisor, etc.

Para enriquecer o nosso debate justifiquem e expliquem a razão pela qual consideram a vossa escolha um ativo intangível.


Para participar basta clicar em INSERIR COMENTÁRIO, não esquecendo de indicar o seu nome e turma para que o seu contributo seja avaliado. Os vossos comentários serão primeiro sujeitos à aprovação do professor pelo que podem não ficar imediatamente disponíveis.

Esta atividade de Fórum permite debater e abordar novas ideias, visa o desenvolvimento e a discussão de temas atuais, no âmbito da formação. Aguardo as vossas participações com expectativa, o vosso contributo é muito importante para o sucesso deste fórum!

Sylvie Moreira

Fórum Agosto 2017 – Organização do Trabalho – Clique aqui para aceder

DICAS PARA SER MAIS ORGANIZADO

 

Se pensa que precisa ser mais organizado, de forma a ser um empresário mais produtivo, então penso que está no caminho certo. Ser desorganizado custa-lhe tempo; tempo que poderia ser utilizado no crescimento do seu negócio.

No entanto, com apenas alguns ajustes, gerir o seu negócio poderia ser mais fácil, mais divertido e menos stressante. E quem não poderia utilizar um pouco disso agora?

Penso que o Michael Gerber, autor do “The E-Myth” dí-lo de uma forma mais adequada: se passa muito tempo a trabalhar no seu negócio, não vai ter tempo suficiente para trabalhar para o seu negócio. Isto é, se tudo aquilo que fez foi criar um trabalho para si mesmo, isso foi um erro. É muito melhor, e mais inteligente, tentar perceber como se libertar de forma a ser mais empreendedor, menos trabalhador.

5 dicas para os empreendedores maximizarem a sua produtividade

  1. Planeie o seu dia no começo de cada dia

Antes da loucura do dia se instalar, comece por ver o que está para vir e depois atribua prioridades. Faça uma lista e tente segui-la. Dessa maneira, em vez de os acontecimentos o controlarem, você é que os controla. Você não quer passar o seu dia a apagar fogos.

Se tiver um planeamento diário, utilize-o. Se utiliza o Outlook ou um iPhone, certifique-se que tira proveito de todas as ferramentas organizacionais que têm incorporadas.

  1. Adquira e aprenda o software certo

Existem no mercado tantos softwares e ferramentas de poupança de tempo que é um erro não as usar e tirar vantagens delas. As pessoas que criam o software gastam uma enorme quantidade de esforço em I&D, aprendendo o que é que as pessoas das pequenas empresas precisam. Depois criam aplicações de software poderosas desenhadas para preencher essas necessidades.

Compre-as. Aprenda como funcionam. Utilize-as.

O erro que muitos de nós comete (incluindo eu) é que compramos este excelente software e nunca tiramos o tempo necessário para aprender tudo o que ele pode fazer por nós. Um dia de formação pode torná-lo muito mais organizado e eficiente.

  1. Não seja um escravo do e-mail

Quando li que o Tim Ferris, autor do livro “The 4-hour work week” gasta pouco mais de uma hora, por semana, no e-mail fiquei incrivelmente invejoso. Foram poucos os que descobriram como parar o ataque do e-mail a esse ponto, mas mesmo assim, é possível ser mais inteligente em relação ao e-mail:

* Determine a quantidade de tempo por dia quer gastar com os e-mails e cumpra

* Deixe tempo para o e-mail uma a duas vezes por dia e, mais uma vez, cumpra.

O erro que muitas pessoas cometem é ficarem tão presas ao e-mail que o verificam várias vezes por dia (ou hora!).

  1. Organize o seu escritório

Estar constantemente a procurar por entre montes de papéis e pilhas de notas não é maneira de gerir um escritório. Arranje os materiais de escritório que precisa e coloque-os onde os vai utilizar. Codifique os documentos com cores. Compre uma máquina destruidora de papel. Compre um armário maior. Arranje uma estante extra.

Organizar o seu escritório é uma das coisas mais fáceis e mais baratas que pode fazer para ser mais produtivo.

  1. Delegue

Você não tem de fazer tudo sozinho. Dar alguma da sua carga de trabalho aos outros vai libertá-lo para utilizar melhor o seu tempo.

Nesta altura, em especial, qualquer coisa que possa fazer para ser mais produtivo é uma jogada inteligente.

Escrito por Steve Strauss

Este mês proponho-vos uma reflexão/debate sobre o tema da ORGANIZAÇÃO, as suas vantagens e como pode ou não influenciar a nossa produtividade, desempenho e felicidade.


Para participar basta clicar em INSERIR COMENTÁRIO, não esquecendo de indicar o seu nome e turma para que o seu contributo seja avaliado. Os vossos comentários serão primeiro sujeitos à aprovação do professor pelo que podem não ficar imediatamente disponíveis.

Esta atividade de Fórum permite debater e abordar novas ideias, visa o desenvolvimento e a discussão de temas atuais, no âmbito da formação. Aguardo as vossas participações com expectativa, o vosso contributo é muito importante para o sucesso deste fórum!

Sylvie Moreira

Fórum Julho 2017 – Relações sociais em ambiente de trabalho – Clique aqui para aceder

Relações sociais em ambiente de trabalho

O que seria de nós sem os nossos relacionamentos? Convivemos com as pessoas de várias formas e a todo o momento. Somos vizinhos, companheiros, pais, filhos, subordinados, chefes, amigos, etc. Por mais tímido e reservado que você seja, relaciona-se com os outros. Por isso, a construção de relações verdadeiras e sinceras é uma importante arte nas nossas vidas, a ser desenvolvida e trabalhada.

Conseguir viver harmonicamente com as pessoas permite que se construa uma preciosa rede de contatos, que lhe proporcionará muitos benefícios. Sabe aquele seu amigo que pode lhe dar uma boleia que salvará a sua reunião, ou aquele seu ex-chefe que o pode indicar para uma vaga do seu interesse?

Cultivar relações verdadeiras requer, porém, dedicação e empenho. É uma via de duas mãos, e deve estar sempre ciente da importância do seu papel em manter a ligação aberta e funcional. Tempo, energia e esforços são empenhados para que essa ponte seja construída.

O nível das suas amizades e relacionamentos influencia diretamente a qualidade do seu networking. Portanto, não deixe de prestar atenção aos valores éticos e de vida que norteiam o seu convívio com o outro.

Esta atividade de Fórum permite debater e abordar novas ideias, visa o desenvolvimento e a discussão de temas atuais, no âmbito da formação. Aguardo as vossas participações com expectativa, o vosso contributo é muito importante para o sucesso deste fórum!

Para participar basta clicar em INSERIR COMENTÁRIO, não esquecendo de indicar o seu nome e turma para que o seu contributo seja avaliado. Os vossos comentários serão primeiro sujeitos à aprovação do professor pelo que podem não ficar imediatamente disponíveis.

Cotação: 20% da média da Unidade em estudo.

Aguardo as vossas participações com expectativa, o vosso contributo é muito importante para o sucesso deste fórum!

Sylvie Moreira


Aproveite e responda ao seguinte questionário e analise a sua capacidade de se relacionar profissionalmente:
[poll id=”8″]

Peça Já Informação