s valentim

Caros alunos,

Estou muito satisfeita com o Fórum/Blog deste mês, sobre “São Valentim”!

Mostram o vosso interesse e excelentes ideias sobre o tema apresentado, gostei muito.

Os  vossos comentários foram enriquecedores, cada um em particular. Apresentaram exemplos, experiências e opiniões críticas. Todos cumpriram os objetivos propostos de refletir sobre esta temática e de partilhar a vossa opinião.

Deixo-vos abaixo algumas conclusões sobre este tema, em conclusão do que foi dito.

Foi um bom Fórum!

Obrigada.

Ana Rita

Comentário final

 s valentim

O Dia de São Valentim

É comemorado no dia 14 de Fevereiro o Dia dos Namorados em Portugal. Este dia também é designado por Dia de São Valentim, de acordo com a história do santo com o mesmo nome.

Em grande parte do mundo (como EUA, Itália e Canadá), a data escolhida é 14 de Fevereiro, dia de São Valentim (São Valentino para alguns, ou Valentine’s day). Enquanto no Brasil se comemora a 12 de Junho com referência ao Santo António, Padroeiro de Portugal.

São Valentim foi um sacerdote cristão e um mártir. Um santo devotado à ideia do amor.

No dia 14 de Fevereiro, Dia dos Namorados, também conhecido como Dia de São Valentim, cenários românticos veem-se por cidades de todo o mundo, entrelaçam-se dedos e casais passeiam-se pelos parques. As ruas vestem-se de vermelho com corações, cupidos e passadeiras vermelhas nas lojas apelando aos presentes para a pessoa amada.

É uma comemoração enraizada nos hábitos de milhões de pessoas por todo o mundo, que mesmo sem saber a sua origem, celebram o amor entre duas pessoas, das mais variadas formas.

A comemoração da data e troca de lembranças tradicional, diverge de país para país.

Nas Ilhas Britânicas na altura dos Celtas, as crianças costumavam vestir-se de adultos e cantavam de porta em porta, celebrando o amor; no actual País de Gales, os apaixonados trocavam entre si prendas como colheres de madeira com corações gravados, chaves e fechaduras, o que significava “Só tu tens a chave do meu coração”.

Já na Idade Média, em França e na actual Inglaterra, no dia 14 de Fevereiro, os jovens sorteavam os nomes dos seus pares e estes eram cosidos nas mangas durante uma semana. Se alguém trouxesse um coração costurado na camisola, isso significava que essa pessoa estava apaixonada.

Hoje, em Itália, as pessoas fazem um grande banquete no dia 14 de Fevereiro. Na Dinamarca, as pessoas mandam flores prensadas umas às outras, chamadas “flocos de neve”. Na europa as crianças apreciam fazer presentes ou cartões para os seus amigos e professores, cantam canções a recebem doces e rebuçados dos seus pais.

No Japão a data foi introduzida em 1936 e o costume neste dia é, das mulheres presentearem os seus amados com caixas de chocolates. Embora a data represente uma oportunidade para as mulheres declararem o seu amor, nos últimos anos o “giri choco” (chocolate de cortesia ou “obrigação”) também se encontra presente na lista de compras de grande parte da população feminina.

Ao longo dos tempos, as tradições de São Valentim foram adquirindo um grau de complexidade cada vez maior. A cada ano que passava, foram-se criando novas tradições, lendas e brincadeiras, como é o caso das mensagens apaixonadas.

A tradicional troca de cartões, cartas e bilhetes apaixonados no dia 14 de Fevereiro teve origem na altura da própria lenda de São Valentim, quando este teria deixado um bilhete à filha do seu carcereiro. No entanto, não há qualquer facto que comprove esta lenda.

Porém, é certo que, no século XV, Charles, o jovem duque de Orleães, terá sido o primeiro a utilizar cartões de São Valentim. Isto porque, enquanto esteve aprisionado na Tower of London, após a batalha de Agincourt em 1945, terá enviado, por altura do São Valentim, vários poemas e bilhetes de amor à sua mulher que se encontrava em França.

Durante o século XVII sabe-se que era costume os enamorados escreverem poemas originais, ou não, em pequenos cartões que enviavam às pessoas por quem estavam apaixonados.

Mas, foi a partir de 1840, na Inglaterra vitoriana, que as mensagens de São Valentim passaram a ser uniformizadas. Os cartões passaram a ser enfeitados com fitas de tecido e papel especial e continham escritos que ainda hoje nos são familiares, como é o caso de “would you be my Valentine“.

Nos dias de hoje, é entre os mais novos que estas mensagens de São Valentim são mais populares, sendo uma forma de expressarem as suas paixões.

Costumam comprar-se cartões para acompanhar presentes mais elaborados como doces, flores ou perfumes.

Nos Estados Unidos nos dias que antecedem 14 de Fevereiro, lojas de cartões, livrarias, lojas de departamentos e drogarias oferecem uma grande variedade de cartões comemorativos chamados Valentines.

Os cartões mais antigos que conhecemos hoje foram feitos pela primeira vez por volta de 1800 e alguns eram enfeitados e decorados com pássaros e flores. Hoje, alguns dos cartões mais populares são os de humor.

Desde então, este dia tornou-se uma data especial, unindo ainda mais os casais apaixonados, com direito a troca de presentes, cartões, bilhetes, flores, bombons…. uma infinidade de opções para se dizer “Amo-te!”.

Mas, muita gente ainda hesita em adotar a data, alegando que se trata de uma estratégia comercial, no que não deixam de ter razão, uma vez que o Valentine’s Day representa cerca de 20% do volume anual de vendas das fábricas de chocolate. Mas, o que vale é a intenção e não há como negar que a vida fica um pouco mais doce com estas declarações de amor e com estes chocolates.

Ana Rita