Fórum Abril – Diferenças Salariais

Este mês, porque estamos em abril, queremos reflectir um pouco na problemática que afecta a grande maioria dos portugueses; as elevadas diferenças salariais entre as diferentes profissões. Se antigamente as qualificações eram o motivo na origem das grandes diferenças salariais entre os empregados das mais variadas profissões, actualmente, e como o anterior artigo apresenta tal parece já não ser determinante. Efectivamente o excesso de qualificações (mestrados, doutorados) é muitas vezes dissimulados de candidatos à procura de emprego que recorrentemente recorrem a empresas de trabalho temporário ou em call center com vínculos contratuais precários. Por outro lado, profissões de técnicos, eletricistas, mecânicos, instaladores ou profissionais liberais mantêm uma procura relativamente estável no trabalho e começam a ganhar valor face a licenciados cursos como línguas, gestão ou mesmo advocacia.

Face ao exposto queremos que nos indique qual o intervalo médio do salário no seu sector profissional (não o seu), se o considera justo e porque razão pensa que certas profissões como advogados ou arquitetos ou professores são atualmente tão mal remuneradas.

Salários mais altos para soldadores do que engenheiros

Serralheiros, canalizadores e torneiros mecânicos podem conseguir ordenados mais altos do que arquitetos ou advogados, em três mil ofertas de emprego anteriormente disponíveis em Portugal, segundo o portal do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Num estudo anteriormente feito sobre o portal “netemprego” era oferecido um lugar para um engenheiro mecânico, em Lousada, com conhecimento de três línguas (inglês, francês e espanhol) e um salário de 600 euros, inferior aos 800 euros pagos a um mecânico, em Alcobaça, um serralheiro mecânico, no Pombal ou a um montador de tubagens, em Valença.

Por 750 euros existiam também vagas para um eletricista, com o 4º ano de escolaridade, em Coruche, e 700 euros é quanto é oferecido a um canalizador ou um operário do fabrico de rolhas de cortiça, em Santa Maria da Feira. O mesmo salário é oferecido a engenheiros civis, em Faro e Lisboa, com a obrigação de falarem inglês fluentemente.

No mesmo portal, existiam também duas outras vagas para advogados com salários de 840 e 850 euros, em Odivelas e Viana do castelo. O ordenado mínimo nacional, cerca de 500 euros, é a oferta para um engenheiro agrónomo, em Trancoso, o mesmo proposto a um trabalhador agrícola para a apanha do tomate, em Mora, no Alentejo, e metade dos 834 euros oferecidos a um tratorista agrícola, em Viana do Castelo.

No setor agrícola destacam-se os 1.500 euros oferecidos a um casal que queira ser feitor/caseiro numa quinta da Covilhã. Os salários mais altos, entre as ofertas disponíveis, são propostos a um mecânico de máquinas, com o 9º ano, a ganhar 1.500 euros, em Alvalade, e um lugar permanente de dois mil euros mensais para uma interprete de alemão e inglês, com conhecimento de finanças, banca e seguros, em Lisboa.

No maior número de ofertas prevalece o salário mínimo ou valores próximos, mas há também empresas dispostas a pagar 850 euros a um pasteleiro, no Sabugal, com alojamento, 800 euros a um cozinheiro, na zona de Tavira, e 700 euros a uma empregada doméstica, na zona de Barcelos.

A maioria das mais de três mil ofertas de emprego correspondem a contratos temporários e algumas são disponibilizadas ao abrigo de medidas de estímulo ao emprego, criada pelo Ministério da Economia para apoio à contratação nas empresas.

diferenças salariais

http://economico.sapo.pt/noticias/estas-sao-as-profissoes-mais-bem-pagas-em-portugal_236977.html