Associações querem aposta nas renováveis, eficiência energética e reabilitação urbana.

Apostar nas renováveis, na reabilitação urbana e na eficiência energética pode fazer a diferença face à crise económica que o país vive, defendem quatro associações do sector da energia nacional. A mensagem surge em jeito de apelo ao Governo e à sociedade civil, assinalando desta forma o Dia Nacional da Energia (29 de Maio).

A iniciativa inédita junta a Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza, a APREN – Associação Portuguesa para as Energias Renováveis, o GECoRPA – Grémio do Património e a AGEFE – Associação Empresarial dos Sectores Eléctrico, Electrodoméstico, Fotográfico e Electrónico, na defesa de uma forte aposta nestas três áreas que iria contribuir para diminuir a dependência energética portuguesa do exterior, assim como o consumo de energia. Para além disso, teria ainda outros impactos económicos, como a criação de emprego, e proporcionaria uma melhor qualidade de vida e dinâmica aos centros urbanos e ao sector da construção.

“A aposta nos recursos renováveis, na reabilitação urbana e na eficiência energética são fundamentais para a sustentabilidade energética e ambiental do nosso país e para relançamento da economia”, defendem.

O elevado consumo energético do sector dos edifícios é um dos argumentos fortes das associações – “dado o peso dos edifícios no consumo de energia, a reabilitação funcional pode e deve ser aproveitada, mediante um acréscimo geralmente modesto do custo da intervenção, para melhorar a sua eficiência energética”, refere o comunicado. “Tal como na construção nova, estão hoje amplamente divulgados os conhecimentos técnicos e os produtos necessários para o conseguir. Além dos ganhos energéticos possíveis atuando na componente passiva dos edifícios – as paredes, cobertura e caixilharia – é relativamente fácil, recorrendo a sistemas solares ativos (solar térmico e solar fotovoltaico) e a sistemas de iluminação eficiente, tornar “zero energia”, ou quase, um edifício existente, contribuindo, deste modo, para a redução do consumo de combustíveis fósseis e da dependência energética do nosso país”, continua.

Também a melhoria da eficiência energética dos produtos, nomeadamente através da implementação das directivas para o Ecodesign e Rotulagem Energética, apresentam um forte potencial de poupança na utilização de energia eléctrica, que as associações estimam como sendo de 430 TWh/ano até 2020 (oito vezes mais do que Portugal consome anualmente). “A implementação desta legislação é de extrema importância não só pelo seu enorme contributo para a redução do consumo energética das famílias, como pela criação de um quadro de incentivo para a inovação tecnológica no quadro de uma política integrada de produtos da UE. Neste sentido é crucial não só promover os equipamentos mais eficientes junto dos consumidores, como garantir uma adequada fiscalização do Mercado”, apontam.

No que se refere às renováveis, o apelo reforça o percurso feito pelo país até aqui, alcançando um “mix único e invejável de recursos renováveis” e destaca os “benefícios importantes para a economia portuguesa através da criação de emprego, contribuição para o PIB, desenvolvimento das zonas rurais, atração de investimento estrangeiro, aumento das exportações e poupança na importação de combustíveis fósseis diminuindo a nossa dependência energética”.

Fonte:

http://edificioseenergia.pt/pt/noticia/associacoes-querem-aposta-nas-renovaveis-eficiencia-energetica-e-reabilitacao-urbana

José Consciência