Caros alunos,

Sejam muito bem vindos a este espaço de partilha onde se debatem temas no âmbito da saúde.

No Fórum deste mês vamos abordar a temática “Idosos com alta hospitalar mas sem sítio para onde ir”, realidade complexa com a qual certamente se irá deparar enquanto profissional de saúde.

Imagem internamento hospitalar

Esta questão tem sido debatida nomeadamente durante os meses de Janeiro e Fevereiro, onde o afluxo crescente de utentes aos serviços de urgência hospitalares aumentou (muito devido ao acréscimo de casos de gripe e das suas complicações), sobretudo pela permanência prolongada dos utentes em macas no SO (serviço de observação da urgência).

A situação agrava em contextos de maior afluência por existirem utentes nos serviços de internamento a ocupar camas mesmo com alta clínica, por serem casos sociais ou aguardarem vaga nos cuidados continuados. As respostas sociais ainda não são muitas vezes suficientes para agilizarem estes processos mais complexos.

Convidamo-lo agora a assistir a um pequeno vídeo que passou durante a semana passada no telejornal da RTP 1, que retrata exatamente uma destas realidades…

Idosos com alta hospitalar mas sem sítio para onde ir

Sívia Brandão/ Simão Martinho02 Mar, 2015, 13:50 / atualizado em 02 Mar, 2015, 13:51

O Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro tem em média 30 camas por dia ocupadas com doentes que já tiveram alta mas que não têm para onde ir. Na maioria dos casos são idosos que ficam em listas de espera, a aguardar transferência para unidades de cuidados continuados. Há também casos de doentes psiquiátricos cujas famílias não têm condições para os acolher em casa.

Aceda então ao vídeo…

Vídeo

Convidamo-lo a fazer o seu comentário ao vídeo que acabou de assistir e a partilhar connosco, se considerar pertinente, alguma situação que tenha experienciado ou que tenha tido conhecimento sobre esta problemática.

Contamos consigo!

Bom fórum para todos!